Instagram             Facebook           ✉ petfarmaciaufms@gmail.com

Pesquisa: Interações medicamentosas em hospital de ensino

Interações medicamentosas (IM) podem ser definidas como respostas especiais decorrente de administrações simultâneas de dois ou mais medicamentos. Podem ser benéficas ou indesejáveis. As indesejáveis podem provocar a redução do efeito e/ou até mesmo indução de um efeito contrario ao esperado, promovendo desta forma, reações adversas e aumento do custo do tratamento. Quanto ao perfil podem ser classificadas em farmacocinéticas, farmacodinâmicas e não especificadas. Quanto ao impacto podem ser classificadas em contraindicado, graves, moderadas, leves e desconhecidas. O uso inadequado de medicamentos e a presença de polifarmácias provocam impactos clínicos e econômicos e expõe o paciente aos riscos advindos do IM e reações adversas. Prescrições que possuem alto risco devem ser monitoradas.

Promoção e atenção a saúde de adultos, crianças e adolescente de Campo Grande-MS

Para enfrentar as vulnerabilidades que comprometem o desenvolvimento de crianças e adolescentes, Mistérios da Saúde e Educação estruturam o Programa Saúde nas Escolas (PSE). Atualmente, as atividades do PSE são distribuídos em três componentes que englobam avaliação  das condições de saúde (I), promoção da saúde e prevenção de agravos (II) e formação dos gestores e das equipes de educação e de saúde que atuam no PSE (III). Assim, esta proposta é desenvolver ações de promoção e atenção a saúde de crianças e adolescentes através das atividades do componente I do PSE: avaliação antropométrica (peso, altura, índice de massa corporal e circunferência da cintura), classificação do estado nutricional (eutrófico, sobrepeso ou obeso) e avaliação da acuidade visual (teste de snellen).

Perfil epidemiológico e farmacoterapêutico do paciente com esclerose múltipla atendimento na Farmácia Escola da UFMS 

A Esclerose Múltipla é uma doença desmielinizante, com componentes inflamatórios e degenerativos do sistema nervoso central. Atinge cerca de 2,5 milhões de pessoas em todo o mundo, sobretudo mulheres entre 15 e os 45 anos de idade. Sua etiologia é multifatorial e as evidencias sugerem uma interação entre fatores genéticos e ambientais. A primeira terapêutica surgiu em 1993, com a aprovação  do interferon beta-1b para prevenção de novos surtos e na expectativa de diminuição da progressão de incapacidade. Atualmente, existem outras terapêuticas, e novos fármacos estão sendo estudados. O HU e um dos centros de referencias e a Farmácias Escola realiza a dispensação dos medicamentos. Assim, este projeto visa implantar cenários reais de pratica para o desenvolvimento de habilidades clinicas.

Fatores farmacoepidemiológicos e desfechos obstétricos e perinatais das gestantes acompanhadas em hospitais de ensino

Após o episodio da talidomida, mulheres gravidas continuam sendo expostas a muitos medicamentos cuja segurança nem sempre esta bem estabelecida. Por medo da embriofetotoxicidade, muitos médicos adotam atitudes excessivamente conservadoras com relação ao uso de medicamentos durante a gravidez e expõem a mãe e feto a sérios riscos. Cabe a todos os profissionais de saúde informar as mulheres em idade fértil sobre o risco da utilização de medicamentos na gravidez. No Brasil, ainda existe poucos estudos sobre a utilização de medicamentos, sendo a maior parte dos estudos quantitativos e apenas alguns empregam o sistema ATC e novos medicamentos são frequentemente lançados no mercado.

Síntese de polímeros helicoidais a partir de fontes renováveis

A conformação helicoidal está presente em macromoléculas biológicas, caso do DNA e de certas proteínas, como a -amilose. A estrutura de hélice em tais moléculas se dá graças a presença de centros quirais em toda a extensão do polímero, e é de grande importância para a função biológica. Várias são as utilidades dos polímeros helicoidais, como o reconhecimento molecular (separação, catálise, funções sensoriais), utilidades como andaime para alinhamento de grupos funcionais, de cromóforos, ou ainda de moléculas no estado sólido ou líquido cristalino. Além disso, esses materiais podem ser usados como sensores quirais, devices moleculares, elementos de memória no ramo da informação, etc. Já existem publicações acerca de polímeros helicoidais com aplicações farmacêuticas.